sexta-feira, 14 de setembro de 2007

PEDRA DE RAÍZES

No jardim de ninguém a erva cresce.
Não há foices, nem fomes, nem fadigas
nem esperança que renasça.
Era a paz que eu queria
e fujo.
Não me encontro
nem há
quem me procure.
Meu amor, meu mundo, meu silêncio
essa pedra de raízes
me tornaste.

8 comentários:

Crítica&denúncia disse...

Ai que cantinho mais romântico este aí todo verdinho...vontade de me esconder ali para olhar nos olhos, pegar nas mãos, deixar a cabeça recostada no ombro, jogar conversa fora, bem baixinho, entre beijinhos na face, toque nos lábios...e este poema que coisa doce ! Abraço de Alda

Lumife disse...

É bom haver sítios destes onde possamos meditar.

Bom fim de semana.

David Alves disse...

Muito bom o texto...mas é bom que exista sempre esperança... sem isso nada somos. Aparecerei mais vezes.

DS disse...

Existe uma expressão francesa, "le jardin secret," que denomina um espaço interno onde os segredos da nossa alma estão escondidos. O teu jardim fez-me recordar esse espaço e essa expressão.
Beijinho

Mustafa Şenalp disse...

çok güzel bir site.

Tiago R Cardoso disse...

Excelente texto, boa foto.

martelo disse...

buscamos o refúgio utópico, perfeito...

Simplesmente...Joana disse...

bonita imagem :) as "ervas" apoderam-se de tudo... basta dar-lhes caminho :)

Beijooo

Até já!**