sexta-feira, 21 de setembro de 2007

UM MUNDO ALGURES

Dói-me a solidão em que respiro
nestas horas mordidas uma a uma.
Órfã de ti com o silêncio busco
na areia, nos saibros e na bruma.
***
Loucura? Ilusão? Ou coisa nenhuma...
Um mundo que outro tempo, algures,
segurei inteiro em minha mão.

9 comentários:

Dalaila disse...

É a dor, que não tem sítio penetra e demora a sair, que na loucura e na ilusão se encontre o tempo....

Quint disse...

Gostei... moendo café, humm, que belo aroma.
Obrigado pela visita e continue visitando.

Crítica&denúncia disse...

A mágoa passada num coração ardente fragela a vida...sinto em tuas palavras que a saudade te faz poeta maior e isto é um grande bem para nós teus leitores que podemos desfrutar da beleza do teu interior. Perdão se pareço cruel. Alda Inacio

lost_soul disse...

"Poetry is an orphan of silence. The words never quite equal the experience behind them."
-Charles Simic

C Valente disse...

Seguir quem amamos, sim
Saudações amigas
Bom fim de semana

J.G. disse...

Muito bonito conjunto imagem-texto.
Em sete versos, a expressão plena de um sentir.

Saudações.

Tiago R Cardoso disse...

Mas quem me segura a minha mão ?

NINHO DE CUCO disse...

Eu seguro, Tiago, sempre que queiras por aqui passar. Porque todos precisamos de agarrar e ser agarrados e o facto de no mundo virtual sermos inteiramente livres nos nossos relacionamentos faz com que estes tenham uma dimensão única e consistente. Uma dimensão que se perde quando somos confrontados com a realidade objectiva.
Bjinhos

Simplesmente...Joana disse...

Muito bonito :)
Basta recordar, para viver novamente tudo isso :)

Beijooo

Até já!**