sábado, 8 de setembro de 2007

LIBERTA-TE AMIGO

Liberta-te, amigo, parte esses grilhões
e vai cantando pelas madrugadas.
Rasga os dogmas, rasga as convenções
o céu não tem limites, o sonho não corrompe.
Dizem que és louco? Sorri
não te deixes levar por compaixões
os que te lamentam são aqueles
que mais cedo te esquecem..
Não permitas que as pedras te anoiteçam
entre a manhã e a noite existe a tarde
e a tarde, amigo, só pertence ao tempo.
Os que te acusam são os mesmos
que invejam a tua liberdade.
Sê quem és sem nada destruires
as cidades são o mundo dos homens
o paraíso o refúgio dos loucos.
Vive e deixa viver
tempo perdido não regressa.
Podes dar vida aos outros mas não tempo
por isso, amigo, os dias se sucedem.

2 comentários:

7 Pecados Mortais disse...

Olá amigo! Obrigada pela tua participação no meu blogue. Já te adicionei aos blogues amigos e a partir de agora passarei a ser uma visita habitual. Quanto ao que escreves quase que penso noutra citação de Voltaire em que diz:

" É triste não ter amigos?
Ainda mais triste é não ter inimigos!
Porque quem não tem inimigos é sinal que não tem:
Nem talento que faça sombra,
Nem carácter que impressione,
Nem coragem para que o temam,
Nem honra contra a qual murmurem,
Nem bens que lhe cobicem,
Nem coisa alguma que lhe invejem..."
(Voltaire)

Um abraço e volta sempre, assim como o farei.

martelo disse...

gosto do estilo, profundo, sentido...