quarta-feira, 15 de agosto de 2007

PÁSSARO DO DESERTO

Pássaro do deserto, como hoje é tarde
e é cedo também nos dias sem tempo.
Pássaro do deserto, como estou sozinha
cansada e viva, rodeada de gente.
Pássaro do deserto, tão perto não viste
meus olhos sorrindo cheios de tormento.
E assim desfolhámos as rosas
demos de comer ao vento.
Pássaro do deserto voando...inutilmente.

1 comentário:

7 Pecados Mortais disse...

Que grande desabafo ao pássaro do deserto, que está no deserto, mas que sempre alcanças. Falas com ele por pensamento pois por gente estás tua rodeada. Querias ser feliz e pertencer à vida do pássaro do deserto. Voa ao alcance dele, talvez o apanharás e talvez o nome da ave deixe de ter deserto. Saltou-me assim de repente esta poesia muito rápida. Peço desculpa por o meu lapso ao colocar erradamente o nome do teu Blogue. Já corrigi o erro e obrigado mais uma vez pelas tuas palavras. Volta sempre assim como eu regressarei. Beijos.