sábado, 15 de dezembro de 2007

DEPOIS DO NADA

Silenciosamente perderam-se os passos
Raivosamente secaram-se os prantos
Convulsivamente calaram-se as vozes
E ficou deserta a terra desfolhada
***
Dizem que depois do nada
Só há morte

18 comentários:

Tiago R Cardoso disse...

Mas há sempre a esperança de mais...

Zé Povinho disse...

Calma aí, nós ainda cá estamos, e não desistimos.
Abraço do Zé

avelaneiraflorida disse...

E o dia de amanhã?????

Keops disse...

Dizem?
Então não vi, não sinto!
Ainda sinto os passos, vejo os prantos,oiço as vozes...
Felizmente!

Manuel Rocha disse...

No rasto de um commment que deixou no espaço do Tiago passei por aqui e gostei do que vi...voltarei !

quintarantino disse...

Será? Não creio, mas admito...

Alma Nova disse...

Depois do Nada...apenas a morte da alma persiste!

Naty disse...

Olá passei para conhecer teu cantinho e adorei voltarei.Aproveito para desejar-te umas felizes Festas.
bjs naty

NINHO DE CUCO disse...

Só há morte porque escrevi isto a pensar numa pessoa que está muito doente.

martelo disse...

a vida, a verdadeira riqueza e tão passageira...

O Guardião disse...

A esperança é algo que nunca devemos perder, mesmo, e sobretudo, quando os tempos e a vida não nos correm de feição. Que mais temos a que nos agarrar, nós que estamos condenados desde que viemos ao mundo?
Cumps

JOY disse...

Minha querida amiga ,

Enquanto há vida , há esperança

Um beijinho
Joy

Peter disse...

Ou que depois da morte é o nada.
Dantes, quando era puto, os Natais nunca mais chegavam. Agora são consecutivos. Caiem em cima de mim consecutivamente.

Um Bom Natal.

P.S. - Até já. Vou voltar para te desejar o próximo.

Sniqper ® disse...

Quem serão os que falam depois da Morte! Os vivos que mortos vivem do nada!

herético disse...

o grau zero. da política. que tem a raiz de poesia...

quintarantino disse...

... (re)passando, (re)lendo...

Pata Negra disse...

Conheço esse banco, andei com os pés por cima dele quando era criança. Gostava de chegar a velho para me poder sentar nele!
Um abraço em fim de outono

preconceitos disse...

Também por isso me falta sentido ao Natal.
Não deixo de agradecer a tua visita e votos e recebe aquilo que queres hoje, amanhã e sempre.